Total de visualizações de página

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Toda galáxia fica perto de alguma constelação?

Ok, turma!
Vamos para a outra pergunta, postada pela nossa querida Ana Elizabete:
"Toda galáxia fica perto de alguma constelação?"

Bem, vale lembrar que as constelações são apenas figurativas, são padrões que nós, seres humanos, convencionamos para melhor memorizar as estrelas do céu. Mas as estrelas de uma constelação, não tem necessariamente relação com outras estrelas da mesma constelação. Por exemplo, as Três Marias, na verdade, não estão uma ao ladinho da outra. Cada uma delas está a uma distância diferente da Terra, mas aparentemente, vistas da Terra, elas parecem alinhadas de tal forma que, aparentam manter, todas, uma mesma distância entre si e em relação a Terra.
Estes conjuntinhos de estrelas, como as Três Marias, é o que os astrônomos chamam de "asterismos", ou seja, conjuntinhos que por terem alguma característica notável, são reconhecidos por observadores de todos os países, ainda que sejam chamados por diferentes nomes populares. As Plêiades, por exemplo, ganham um nome popular diferente em cada região do Brasil.

Mas, voltando à pergunta da Ana, a resposta é sim, todas as galáxias, observadas desde a Terra ou por telescópios orbitais, estarão dentro dos limites oficiais de uma das 88 constelações.
Por isso o céu foi dividido em constelações, com um limite oficial bem definido, para dar endereço aos objetos observados a olho nu ou em campo profundo.

Ainda sobre as galáxias, em lugares livres de poluição luminosa e em noite sem Lua, podemos observar três lindas galáxias, visíveis a olho nu como tênues manchas esbranquiçadas. São elas a Grande Nuvem de Magalhães, na constelação austral (do Sul) do Dorado, a Pequena Nuvem de Magalhães, na constelação austral do Tucano, e a galáxia de Andrômeda, na constelação boreal (do Norte) que também se chama Andrômeda.
As Nuvens de Magalhães são galáxias do tipo irregulares, pois não possuem uma forma definida, e suspeita-se de que possam ser satélites da nossa Galáxia. Já Andrômeda é uma galáxia espiral, ainda maior do que a nossa.
Eu adoro ver estas três galáxias, e ver Andrômeda com um telescópio foi muito emocionante. Fico imaginando como seria vê-la com um dos super telescópios que o Brasil possui no deserto do Atacama, no Chile.
Vocês sabiam que muitos astrônomos e estudiosos brasileiros passam semanas por ano no Chile, trabalhando nesses telescópios? Eu fui conhecer dois observatórios nos Andes, mas isso é uma outra história.

Espero ter respondido sua pergunta, minha querida Ana Elizabete.
Abraço a todos!
Fernando

2 comentários: